Depilação à Laser

Quando falamos em depilação à LASER é muito importante diferenciar o tipo de aparelho que está sendo utilizado, pois isto faz total diferença; desde a eficiência, segurança, recidiva, dor, e até o custo. Geralmente o LASER é mais eficiente do que os aparelhos de luz pulsada.

O LASER que utilizamos é o Light Sheer, do tipo diodo, com comprimento de onda de 800 nm, desta forma este aparelho é específico para a depilação, pois nesta configuração ele atinge somente a melanina, que é o pigmento que dá cor escura ao pêlo, sem atingir a pele; sendo assim o LASER mais seguro e eficiente existente no mercado.

Quando o LASER é disparado, é absorvido pela melanina, queimando o pêlo, este atinge a matriz do pêlo, lesando-a definitivamente, não crescendo mais pêlo naquele folículo piloso. A combinação ideal para obtermos um melhor resultado seria um pelo grosso, escuro, com bastante melanina, em uma pele clara, com pouca melanina; pois o LASER queima intensamente o pêlo, lesando a matriz do folículo piloso. Os pêlos mais claros e finos, quando são queimados pelo LASER, menos intensamente, não conseguem destruir definitivamente a matriz do folículo piloso, voltando a crescer, porém mais fino, mais claro e mais lentamente; o índice de sucesso no tratamento é em torno de 90 a 95% para os pêlos grossos e escuros e de 50% para os pêlos claros e finos.

As regiões mais comumente tratadas são: face (com exceção das sobrancelhas), axilas, virilhas, pernas, costas, tórax, abdômen. Em média são necessárias 4 a 6 sessões, com intervalo de 1 a 3 meses; após o término desta fase, inicia-se a fase de manutenção, com 1 a 2 sessões por ano, para tratar os pêlos que voltam a crescer, ou novos por estímulos hormonais. Para diminuir a dor aplica-se um creme anestésico e um gel gelado; a sensação de ardência melhora após 30 a 60 minutos; algumas crostas superficiais podem surgir por 3 a 5 dias; deve-se evitar a exposição solar por 15 dias antes e depois das sessões, para evitar que a pele fique mais bronzeada (mais melanina) e o surgimento de manchas (escuras ou esbranquiçadas). As complicações são raras e não definitivas, as possíveis manchas hipercrômicas ou hipocrômicas, desaparecem em 3 a 4 meses. O aparelho computadorizado tem mecanismos de calibragem que controlam a potência do LASER, além da ponteira resfriada que compensa o calor causado na queima do pêlo; fatores estes que conferem adaptação para tratar os diferentes tipos, localidade e tonalidade da pele.

Com a depilação à LASER, não será mais necessária a utilização da cera ou de giletes, que devido ao seu uso repetitivo, provoca freqüentes reações inflamatórias, que por sua vez podem provocar o escurecimento da pele na área depilada. Em pacientes que apresentam alergia ao metal das lâminas das giletes, ou com irritação pela cera, o LASER é uma ótimo resolução.