Doenças Imunológicas

Imunodeficiências: É um estado no qual a capacidade do sistema imunológico para combater doenças infecciosas é comprometido ou completamente ausente. É adquirida, como por exemplo, AIDS, uso de imunossupressores, como quimioterapias, uso de glicocorticoides por tempo prolongado e desnutrição.   São classificadas como primarias as que são acompanhadas pelo imunologista, não são transmissíveis, são genéticas, hereditárias e ocorrem desde a infância, apesar de algumas só manifestarem sintomas na fase adulta.   As imunodeficiências primarias são raras, sendo a mais comum a deficiência de IGA, que pode muitas vezes passar desapercebida, até casos mais graves, como deficiências de IGG, onde temos que repor imunoglobulinas, ou outra onde é necessário o transplante de medula ou até as que não temos ainda tratamento definitivo, mas é preciso proteger esses pacientes.   Angioedemas: Existe o edema alérgico que acompanha as urticarias ou são decorrentes de alergias a medicamentos, alimentos ou, até mesmo, de contato.   Existe o angioedema hereditário, que é uma doença genética que acomete ambos os sexos e ocorre pela ineficiência ou quantidade inadequada de uma substancia chamada inibidor de C1esterase, representado por episódios espontâneos de inchaços em membros, órgãos, mucosas ou trato respiratório e gastrointestinal. Ela provoca edema excessivo no corpo em qualquer parte, incluindo as extremidades, face, laringe e órgãos internos, gerando fortes dores abdominais, vômitos e diarreias. Os inchaços cutâneos regridem espontaneamente e são confundidos com alergia porque iniciam com vermelhidão e calor local quando acomete laringe, faringe, língua, com risco de anafilaxia por edema de glote.   Este tipo de edema requer tratamento especial, não responde a antialérgicos. Como já explicado, envolve mecanismo imunológico e seu diagnóstico é feito com exames laboratoriais precisos, realizados em centros específicos também. Cabe ao imunologista orientar e comprovar a doença para iniciar tratamento apropriado.